sexta-feira, 9 de março de 2012

Bendita sociedade



Enão é assim? A vida se baseia nas leis terríveis impostas injustamente pelo homem, temos que seguir padrões, regras absurdas, preconceituosas? Então essa é a tal Terra, onde as pessoas trocam o melhor sentimento por dinheiro, onde a cada segundo que passa uma criança chora por ter problemas que nem um adulto é capaz de suportar.
Não somos reis ou rainhas, somos irmãos, todos, sem exceção. O meu dinheiro não me faz melhor do que você, a minha roupa não diz como mereço ser tratada, minha aparência não reflete os meus atos, o meu passado não pesa o meu presente e me atormenta no futuro, os meus gostos são só meus, assim como a minha vida, isso sim é propriedade minha e eu posso me gabar por isso, tem presente melhor do que está vivo?
Sabe, todo mundo vê o que eu estou tentando dizer, todo mundo vê sofrimento, inevitável, afinal ele está escancarado em nossos rostos, mais presente que a santa felicidade. Mas o que me incomoda é ver também escancaradamente como somos sínicos, apagar com a borracha? Fingir não ser com você? Trocar de canal? Ou talvez absurdamente até concordar com essa sociedade. Acredite o ser humano é capaz de tudo. Eu não acreditava, é pra você vê, eu já tive os olhos verdes de esperança, “brincava com o leão” e como achava bonito, até o sangue pra mim era doce como o caldo da maça do amor. Mas eu cresci, me fizeram crescer e roubaram de mim tudo que eu mais zelava, e dos olhos verdes restou um castanho escuro quase preto, oco mas que no fundo esconde um caminho que nem eu mesma sei chegar.

G.Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário