quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012



E agora o que sobrou do que eu mais zelava são sonhos de um passado que infelizmente não aconteceu, poderia ter sido diferente, eu poderia ter me doado mais, ter feito o impossível pra te ter, mas eu queria a perfeição, eu queria que o momento fosse único pra que tu não se esquecesses de mim, porque eu já sabia antes de te olhar nesses olhos ternos que era você que eu queria ficar perto quem sabe pra sempre, desculpe eternizar as coisas, mas não fica mais romântico e mais verdadeiro? E digo mais, se pra te ter eu precisasse inventar o pra sempre eu inventaria.
Mas acabou de uma forma nada planejada, talvez tenha só começado, torço que sim, eu vi você, você me viu, foi como se um espelho estivesse se quebrado e agora era só realidade, repito a dura e triste realidade, ao teu lado tinha uma alma feminina, que segurava tua mão, como nos meus sonhos eu imaginei segurar, te olhava com ternura creio eu ou só admirava tua beleza que é impossível de não se admirar. Tu correspondia os atos dela, talvez com menos intensidade mas correspondia. Ali ela era tua, e tu era dela, e eu? Eu era nada, eu não respirava, sentia ou chorava; eu era o susto e a dor da perda misturados sem reação alguma, eu sentia vontade de correr te dá um abraço, mas com ela ali nem se eu fosse invisível, ela era como uma muralha que te impedia de mim, talvez ela fosse tua guardiã e eu o monstro que queria te ferir com o amor mais impuro.

G.Araújo.

Um comentário:

  1. Gabi, aqui entre nós, com quem vc está aprendendo a escrever assim? Me ensina (risos)

    Lindo todo o teu texto, mas triste a história.... Você não era o monstro, você era o elfo que queria dar amor PURO, não impuro, e "ela era a bruxa fazendo o coitado quase morder a maçã envenenada, nossa daria um belo final feliz.... com Você e ele, tipo Romeu e Julieta.

    Beijo querida, saudades de ti.

    ResponderExcluir