segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Esse tal do amor


Chega a ser triste, pois é, o amor na maioria das vezes não é como os dos filmes. O amor corrói, destrói, machuca e faz muito chorar. Então por que a gente ama? Isso nem ao certo sei dizer, creio que como tudo que é compensador na vida é difícil. Igualmente ao amor. Amar não é coisa pra armadores, por isso geralmente carregamos o peso de outras paixões como feridas, fazendo com que desacreditemos no amor.
Mas que nada, se um romance não der certo pense assim: "Foi uma ótima experiência, aprendi com o sofrimento. No próximo estarei mais forte e tentarei fazer diferente."
Falando assim parece simples não é?
Não, não é, o amor nunca curtiu muito a simplicidade, por isso nunca foi pouco, básico, calmo. 
Olha só quem vocês estão 'ouvindo', alguém que já leu milhares de definições do amor mas nunca achou uma totalmente verdade ou totalmente mentira. Uma moça que ama a simplicidade e por isso não ama tanto o amor por ele ser contrário. Uma cidadã de pouca idade porém já carrega muitas histórias de amor, que ela nem poem a mão no fogo pra confirmar ser amor, porque acabaram tão tristes, e algumas sem explicação. E ela como toda menina "clinclê", acredita que o amor é a coisa mais poderosa do mundo.

G.Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário